Rua Frei Ma­tias Te­ves, 280, Sl. 605/607
Ilha do Leite, Em­pre­sa­rial Al­bert Eins­tein
Re­cife PE | CEP: 50070–450
Fone: 81 3222.7027

Com o objetivo de buscar melhores soluções para seus clientes, Sócrates Chaves Advocacia e Consultoria tem atuado obedecendo aos mais rigorosos princípios éticos, sempre perseguindo a melhoria contínua de relacionamento com seus fiéis clientes. Com serviços personalizados, soluções ágeis e simplificadas. Além do âmbito judicial, a banca tem atuação também nas esferas administrativa e de consultoria, sempre de modo a atender o melhor interesse do cliente, que busca eficiência e celeridade. Nesse sentido, importa destacar a busca de soluções negociadas, evitando-se o recurso ao Judiciário, e a atuação em Câmaras de Mediação e Arbitragem.

A sociedade é composta por profissionais com vasta experiência de mercado e acadêmica nos diversos setores atendidos, contando com equipes e parcerias especializadas. Aliando a experiência na prática com a capacidade técnica.

A sede do escritório fica em local de fácil acesso, próximo aos principais órgãos públicos federais e estaduais do Estado de Pernambuco.
A estrutura disponível envolve unidade em Recife-PE, com tecnologia de ponta, parque tecnológico com servidores de ponta, sistema de segurança da informação e parque de impressão e digitalização de documentos, biblioteca atualizada, sistema de acompanhamento processual, internet banda larga, certificado digital, o que permite um controle total dos processos de forma concisa e atual, além de um atendimento ágil e eficaz.


Novidades

Frei Miguelinho e a conta de luz dos cariocas

A Re­vo­lu­ção Per­nam­bu­cana de 1817 en­trou para a his­tó­ria pe­los seus ide­ais li­ber­tá­rios e ilu­mi­nis­tas. Uma das cau­sas ime­di­a­tas, po­rém, aca­bou es­que­cida. É que, a par­tir de 1808, com a mu­dança da fa­mí­lia real por­tu­guesa para o Bra­sil, so­mente o Rio de Ja­neiro ti­nha grau de ur­ba­ni­za­ção ca­paz de abri­gar os mo­nar­cas. Um dos di­fe­ren­ci­ais da ci­dade era a ilu­mi­na­ção pú­blica. Ocorre que os en­tão 40 mil mo­ra­do­res de Olinda e Re­cife ti­nham que pa­gar a conta para ilu­mi­nar as ruas em que João VI e seus pa­ren­tes caminhavam.

(Continue lendo)

Mesmo sem contrato, Petrobras deve pagar royalties pela exploração em propriedade privada

A Pe­tro­bras terá de pa­gar pela ex­plo­ra­ção de pe­tró­leo em pro­pri­e­da­des pri­va­das no es­tado de Ser­gipe, mesmo sem ter con­trato as­si­nado com os pro­pri­e­tá­rios. O Su­pe­rior Tri­bu­nal de Jus­tiça (STJ) não co­nhe­ceu de re­curso in­ter­posto pela em­presa com o ob­je­tivo de re­ver­ter de­ci­são pro­fe­rida pelo Tri­bu­nal de Jus­tiça de Ser­gipe (TJSE), que de­ter­mi­nou o pa­ga­mento dos royal­ties.

(Continue lendo)